sábado, 27 de dezembro de 2008

Sete Soldados da Vitória Vol. 6

Se você não viu, aqui estão os posts do Volume 1, Volume 2, Volume 3, Volume 4 e Volume 5

Agora a história está chegando bem perto do fim e isso deixa tudo mais empolgante. Outra coisa que ajuda é o fato de que só temos três minisséries rolando, então uma tem duas histórias por edição. A premiada dessa edição foi Frankenstein. 

Algumas coisa a essa altura já ficam meio óbvias sobre quem é o Frankenstein ou pelo menos uma provável origem para alguém feito de pedaços de cadáver (sendo que vimos uma história de uma vila que criava zumbis). 

A primeira história do personagem é bem bizarra, um sujeito feioso dominado pelas fadinhas Sheedas que vai diminuindo a auto-estima das outras pessoas. Mas a segunda que retoma Melmoth e se passa em Marte, é bem bacana. O que ajuda bastante a série é a arte de Doug Mahnke, meio bizarra, mas cheia de detalhes. Um visual perfeito para o monstro.

A história do Sr. Milagre é uma grande viagem sem graça. Essa coisa dele encontrar os Novos Deuses e outros personagens da DC e todos serem mendigos ou estarem perdidos como humanos na Terra é bem sem propósito. A gente sabe que os Novos Deuses existem. Se Morrison quiser mudar isso, depois a DC vai ter que desfazer, então em algum momento vai ser revelado que o Sr. Milagre está sendo manipulado pelo psiquiatra ou algo assim. De qualquer forma a história dele parece a mais descolada da saga toda dos Sete Soldados até o momento. 

Projétil continua como a personagem com mais estrutura de super-heróina de todos do grupo. Além da contrução tradicional de um super-herói, com o direito a insinuação de um aqui-inimigo e tudo mais, no plano de fundo temos a investigação sobre a morte do grupo dos 7 Soldados que vimos na primeira edição. Vamos ver para onde vai essa história. 

-------------------------------------------
A resenha do Nasi está aqui .

Ele insiste no brilhantismo desse "quebra-cabeças" para se desendar coletivamente. Olha, como eu disse aí em cima, algumas histórias estão bem divertidas, o visual é bem legal, agora que está perto do fim aumenta a vontade de ler os números seguintes, mas, no geral, não é uma revista quase perferfeita como ele pinta. 

Um comentário:

Fernando Peres Farto disse...

Finalmente a Distinta Concorrente tem um personagem parecido com o Hulk: seu nome é Frankenstein! ^_^