terça-feira, 13 de novembro de 2007

Dublado ou Legendado?

Estou adiantando esse post porque ele está linkado com um texto que estou escrevendo e deve entrar no ar amanhã pela manhã.

No decorrer do texto caí na armadilha de entrar em uma discussão que eu tenho uma opinião muito forte. Como não fazia sentido prolongar o tema lá e disvirtuar o texto, estou elaborando melhor aqui e deixando um link lá no texto para quem quiser ler e discutir esse ponto de vista. (aliás o tal texto é A loja Mágica de Brinquedos, [amanhã ‘linko’ aqui também])

Estava falando lá que aqui no Brasil sabemos se um filme é para crianças ou para adultos vendo se suas cópias distribuídas nos cinemas são predominantemente dubladas ou legendadas.

As cópias legendadas tem um certo status intelectual difícil de explicar. Parece algo até meio elitista o fato de certas pessoas exigirem ver o filme com seu áudio original (eu sou uma dessas pessoas).

Eu tenho uma séria dificuldade para aceitar programas ou filmes dublados. O ator tem uma certa voz, um certo sotaque, e diversos nuances que nunca vão ser possíveis de serem passados em dublagens, por mais experiente e profissional que o dublador seja.

Além do que, cada pessoa tem uma voz única e cada idioma tem seus fonemas específicos. São coisas que mesmo que você não entenda o idioma, funcionam como dicas sonoras que se consegue pegar no ar. São coisas que fazem parte do som ambiente do filme.

Por exemplo, eu sempre brinquei que quando você tem um personagem americano e um britânico no filme, deveríamos ter um dublador com sotaque brasileiro para fazer o americano e um com sotaque português para o britânico, pois, é necessário marcar a diferença. Os sotaques são tão distoantes como o dos nossos amigos lusitanos.

Isso sem falar nos milhares de outros questionamentos que se tem que levantar sobre a tradução, que nunca vai ser exatamente fiel a obra original, tanto que escritores como Millôr Fernades contam as traduções como obras próprias, pois não é uma equivalência direta e sim um transcrição do que o tradutor entendeu daquilo. Mas, isso seriam sutilezas que não são tão relevantes para a maioria das pessoas, só para aqueles que entendem bem o inglês.

Fora tudo isso tem um problema que sempre me irritou que é aquela impressão que no Brasil todo temos apenas meia dúzia de dubladores. Quantas vezes você já não viu a mesma voz para diversos personagens? Quantas vezes os personagens são tão distintos que a imagem ligada a voz acaba causando uma certa irritação?

Recentemente a Fox teve a idéia de que todas as séries deveriam ser dubladas. Crianças, não se iludam, ela não fez isso para aumentar seu público e sim porque ela quer vender todas as séries para os canais abertos e estes exigem que tudo seja dublado, então, por uma questão econômica, corta-se o custo da legenda, que seria um gasto apenas para atender “os caprichos” de alguns telespectadores e faz-se só a versão dublada, pronta para embalar e vender na TV aberta.

Falei dessa decisão não para levantar um boicote ao canal e sim para citar um exemplo. Na série Dexter, já falei sobre ela aqui no blog, um dos personagens, o Sargento Doaks tem a mesma voz do Paul Sr. Do programa American Chopper, então era irresistível ver o programa sem fazer uma piada como: Vamos resolver esse crime que eu tenho umas motos para montar ainda hoje.

Enfim, na minha opinião o áudio original é imprescindível, contudo, a versão dublada também é necessária para atingir todos os tipos de público. Mas, quem sabe com a tal TV digital os canais invistam em dar as duas opções para todos?

PS.: Não tenho nada contra dubladores. Na verdade espero que cada vez mais tenhamos uma boa diversidade de profissionais de qualidade nessa área. Inclusive sou a favor da campanha deles de que devem ser contratados apenas dubladores profissionais para trabalhar em filmes e outras situações, pois, a turma do Pânico dublando algo só porque estão na moda é patético.

2 comentários:

Junior disse...

Bem também sou chato com relação a isso...nunca assisti ao meu DVD de Superman o filme com a linguagem de audio em portugues...nunca...e quando fui assistir a Superman o Retorno, tinha uma copia dublada no cinema, assisti a contragosto, mas depois fui a outro cinema que tinha uma copia legendada, para ouvir novamente a voz de Marlon Brando....
Pego como exemplo o filme Matrix...a voz do Neo(brasileiro) é ridicula para ele...e a voz de Hugo Heaving é insubstituivel (Agente Smith e também V de Vendetta) e também encho o saco por causa do formato Wide Screen, que eu adoro...minha esposa sempre quer meter o dedão no ZOOM para tirar aquilo....
mas o pior de tudo FRIENDS dublado é horrivel.....a pior dublagem de série possivel...
é pelo visto sou um "elitista"...

Guilherme Kroll disse...

Zé, prefiro sempre legendado, com a exceção de animações. Os dubladores de animações brasileiros são muito bons e nesse caso não acho que fica fake, pois originalmente foi dublado tb.