sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

J. Kendall – Aventuras de uma Criminóloga – Especial # 4


Aproveitando que eu estou em Jaú, estou lendo umas revistas que o Diego tem e eu não. A primeira delas foi a bem elogiada J. Kendall – Aventuras de uma Criminóloga – Especial # 4 (pela lista de melhores de Dezembro do UHQ da para ver como a equipe gostou da revista).

Júlia é uma daquelas coisas que a gente sabe que é bom, que deveria ler mensalmente, mas que por algum vício bobo abre mão de acompanhar para continuar com super-heróis.

As histórias da criminóloga são escritas pelo genial Giancarlo Berardi e dão um enfoque bem diferenciado para as histórias policiais tradicionais. As edições chamadas “especiais”, publicadas aqui anualmente, trazem histórias do começo da carreira de Júlia, quando ela ainda era uma estudante promissora sob a tutoria do Prof. Cross.

Há tempos atrás li de uma tacada só um ano de Júlia, 12 edições mais o primeiro especial (também em uma viagem a Jaú, emprestadas do Diego), e me encantei com a personagem, principalmente porque sou um fanático por histórias policiais.

Mas, como disse, não acompanho a série mensalmente por alguma falha de caráter. Agora, o engraçado é que todo mundo estava falando o quando esse especial era genial e sim, ele é bem legal, contudo, não consegui vê-lo tão melhor quanto os outros que tinha na memória. Para mim, Júlia sempre foi assim excelente.

Aqueles desenhos fantásticos em preto-e-branco feito no estilo dos fumettis da Bonelli. É um trabalho ao mesmo tempo bem detalhista, mas sem ser rebuscado, excessivo. Um desenho muito eficiente.

A história obviamente é o ponto alto. Nessa edição Júlia conhece um pouco sobre a Yakuza e sem querer acaba se envolvendo com um chefe do crime em ascensão. Uma coisa bem legal de se ver é que tudo é narrado em primeira pessoa e o texto é muito feminino. O autor consegue realmente se transformar na personagem e relatar seus sentimentos, suas aflições e tudo que acontece ao seu redor de forma fascinante.

Quem não conhece compre uma edição de Júlia e leia. Sempre é um bom momento para começar a ler a revista que tem na maioria das suas edições histórias fechadas e que não dependem de longos conhecimentos cronológicos.

Se quiser um básico introdutório só para não cair de para-quedas, leia esse texto do Pop Balões!

Ps.: Tem resenha no UHQ nesse link, feita pelo Nasi!

Ps.: Procure as edições da J. Kendall na Banca 2000 e aproveite os descontos do site. 

Um comentário:

Fernando Peres Farto disse...

Giancarlo Berardi é o cara! Nossa, como são boas as histórias da senhorita Kendall! Comprei uma edição (a 18) só pra ver como era (por curiosidade) e fiquei viciado. Compro desde então...