sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

X-Men 78

Puta ediçãozinha enjoada. Olha para essa capa. Uma capa feia, mal colorida, e ainda assim escolhem ela, ok. Depois você abre a revista e qual é a primeira história? X-Men de Mike Carey e Chris Bachalo. O editor tinha que fazer uma opção: ou ele tem um roteirista que conta uma história sem sentido ou ele tem um desenhista que faz uma arte que ninguém entende. As duas coisa juntas não dá. Uma dessas opções já é bem ruim, mas é a média das revistas mensais... agora, as duas juntas é o desastre que é essa história de X-Men.

Confesso que desisti de entender um ou dois arcos atrás.

Já a história do Brubaker é legalzinha. O professor Xavier recupera seus poderes depois de uma viagem por dentro do Cristal M´Kraan. A única coisa me irrita nessa jogada é que agora ele tem os poderes e anda, algo que sempre foi um grande tabu na Marvel. Mas uma solução que eu gostei foi o Destructor assumir a nave do pai e se tornar um Pirata Sideral. Ele sempre foi um personagem de segunda linha, sempre teve o estigma do irmão do Ciclope, talvez desempenhe melhor o novo papel no cenário espacial dos X-Men.

A revista fecha com duas histórias da equipe de pirralhos dos X-Men. Legalzinho, tem um desenho mais solto, mais estilizado, mas apareceram uns personagens de repente, sem explicação alguma que não dá para entender. Não falaram que os mutantes se reduziram a uns poucos? Então como sempre aparece um que a gente não conhece? 

... quadrinhos...

PS.: Já tem resenha no UHQ

Um comentário:

Fernando Peres Farto disse...

A última HQ dos mutantes que li foi a saga Era do Apocalipse, nem sei o que está acontecendo atualmente...