quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Quem é nerd?



Ontem o Zé e eu, cada um em seu canto, parou o que estava fazendo para assistir ao Top Top da MTV, que esta semana apresentou sua lista dos "dez maiores nerds do mundo da música". Ao final do primeiro bloco já percebi que o conceito de nerd que eles usaram era um pouco diferente do que eu tinha em mente. Na verdade, era um conceito mais amplo que parece vigorar na mídia em geral.

O programa mostrou músicos estudiosos, CDFs mais ou menos incorrigíveis, amigos dos livros, que tiveram uma vida acadêmica louvável antes de se dedicarem integralmente à música. Estavam na lista a cantora boazuda Alicia Keys e os guitarristas Tom Morello (do Rage Against the Machine) e Brian May (do Queen), que este ano concluiu uma tese de doutorado em astronomia sobre poeira insterestelar. 
Eu já comentei algo sobre isso quando fiz um post sobre a série The Big Bang Theory, como a imagem que as pessoas fazem dos nerds mudou desde a série de filmes que os tornou famosos. Naquela época nerd era sinônimo de CDF mas isso não era uma coisa positiva. O nerd era a negação de todos os valores que a sociedade de consumo da época pregava, era o loser, aquele não se enquadrava, o esquisito. 

Hoje parece que a coisa mudou. Ser nerd virou cool. Muita coisa da "cultura nerd" hoje é reverenciado por essa onda retrô que tomou a mídia nos últimos anos. 

Não sei seria o caso de dizer que o mundo hoje é controlado por nerds. Microsoft, Apple, Google, Nokia nos empurram tranqueiras eletrônicas para o ocupar o lugar do dinheiro nos nossos bolsos. No século que começou com Neo, de Matrix, como seu herói, George Lucas finalmente transformou Guerra nas Estrelas em um mega sucesso para todos os públicos, e não apenas para nerds. Enfim, muita coisa caiu no gosto popular.

A lista do programa da MTV deixou de lado todo o aspecto esquisito daqueles "nerds", fazendo coro com o que o resto da mídia diz. As manias, as coleções de inutilidades, a falta de habilidade social (e até sexual), nada disso é problema para aqueles artistas. Nada parecido com a euforia de dois amigos meus que semana passada assistiram ao primeiro episódio do novo desenho do Batman, The Brave and the Bold, que tinha como vilão o Rei Relógio.

Sabem quem foi o primeiro da lista, o "mais nerd" de todos? Sir Mick Jagger, dos Rolling Stones, por seu invejável histórico escolar e pelo fato de que, apesar de não ter terminado a faculdade de Economia, tem usado muito os conhecimentos obtidos nela para manter a banda mais lucrativa do mundo. Será isso que é ser nerd hoje?

Os personagens de Big Ben Theory são o oposto: rídiculos. Divertidamente ridículos, como convém a qualquer sátira, mas é isso que os faz geniais. Você pode até se identificar, se divertir e achar legal, mas sabe que às vezes os caras fazem papel de babaca e que você certamente já fez coisa parecida. E não está se sentindo igual a um Rolling Stone!

2 comentários:

Fernando Peres Farto disse...

I can't get no satisfaction watchin' MTV...

André Rebelo disse...

São um bando de rídiculos.
Todos que se unem em torno de idéias, que excluem um determinado biotipo de ser humano.