terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Estamos assistindo: Comander in Chief


Mais uma longa ausência deste espaço. Desta vez, por razões médicas: no meu primeiro dia de férias, em dezembro, tive uma apendicite e fui pra cirurgia. Confinado em casa por um longo período de recuperação, o jeito foi encontrar coisas legais pra fazer assim mesmo. Depois de ler tudo que não li em um semestre (até mesmo Homem-Aranha Potestade...) apelei para os boxes de seriados.

O primeiro que vi foi a primeira (e única, além de incompleta) temporada de Comander in Chief. A série mostra a vice-presidente (Gena Davis) ascendendo ao poder após a morte do presidente, que, no entanto, havia lhe pedido para renunciar em favor do porta-voz dos estados (Donald Sutherland), o terceiro na linha de sucessão presidencial.

A principal qualidade da série é não ser piegas nem previsível na maneira de caracterizar a primeira mulher presidente dos EUA. Seria fácil fazer da personagem uma figura maternal, com as virtudes femininas mais usuais. Mas a presidente Mackenzie Allen represnta muito mais. Sendo uma candidata independente, ela representa uma nova forma de fazer política, sem os vícios do sistema.

E esse sistema é predominantemente masculino, como se percebe pelas metáforas agressivas usadas pelos políticas, tiradas do universo dos esportes, da caça e da guerra. Alguém pensou em caubóis texanos metidos a machão? Mas o grande destaque vai para o personagem de Donald Sutherland, o grande antagonista da heroína. Com uma atuação brilhante, ele nos dá um personagem complexo e muito carismátigo, um dos melhores vilões já visto na tv. Sua relação com a presidente, como não poderia deixar de ser na realidade, é ambígüa. Com o tempo ele passa a reconhecer o valor de sua adversária e isso o motiva ainda mais a derrotá-las nas eleições. Infelizmente a série foi cancelada antes mesmo de concluir sua primeira temporada. Mas vale a pena conferir este box na sua locadora ou mesmo comprá-lo, pois é com certeza um retrato interessante dos bastidores da política norte-americana.

(para comprar o dvd, clique aqui)


2 comentários:

Amalio disse...

Diego, que barra hein cara, apendicite é dose. Espero que você tenha uma boa recuperação. Estava de férias e só li o post hoje. Te cuida meu velho!!!

Diego disse...

Pois é, Amalio. Tudo correu bem depois da cirurgia, que é simples, depois que tira o tal orgão misterioso acabou-se o problema. Mas se recuperar de uma cirurgia no padrão tradicional, com aquele corte dos grandes, é que fez destas férias uma coisa um pouco chata.