terça-feira, 3 de março de 2009

Marvel Max 60

A revista anda bem chatinha...

A história dos Zumbis Marvel e o Ash até salva, principalmente pelo estranhamento dele com os heróis. O momento que ele encontra o Justiceiro também é legal, mas, no geral, é difícil se empolgar tanto porque a gente sabe que ele vai falhar na missão dele.

A outra boa história da revista é o Justiceiro. Sempre naquele esquema militar sacana dele, mas divertido. Não tem muito o que comentar, depois de anos, a série entrou em um ritmo padrão, não que seja chato, é sempre indispensável, sempre bom.

Agora, o restante da revista é sofrível. Cavaleiro Fantasma é muito chato, com aquela arte digital então piora tudo.

Hellstorm tem a vantagem de ser a última edição. Minisseriezinha chaaata. Uma cara de wannabe Constantine, mas sem um pingo de qualidade, ritmo, carisma... difícil... muito difícil...

3 comentários:

Ricardo Malta disse...

Acho que esta edição é o início de uma nova etada da Marvel Max. A qualidade geral das histórias começa a melhorar de uma maneira espantosa. Tomara que permaneça assim por um bom tempo. Abraço,

Fernando Peres Farto disse...

Sinceramente é a única revista da Panini que estou lendo, e é por causa das histórias do Justiceiro. O resto... no, thanks!

Eduardo Nasi disse...

Zé, as atuais estão muitíssimo melhores.