terça-feira, 14 de agosto de 2007

Estamos Ouvindo

Sempre tive vontade de falar um pouco de música até porque, sempre que estamos lendo ouvimos alguma coisa. Então agora no blog, conforme o tempo for permitindo vou falar de algumas coisas que eu gosto de ouvir.

O primeiro músico que eu sempre quis divulgar é o Badly Drawn Boy. Esse excelente britânico é, além de cantor e compositor um instrumentista fantástico criando uma música muito gostosa de ouvir e com letras bem inteligentes.

Para quem não sabe, provalmente a maioria das pessoas, o nome verdadeiro dele é Damon Cough e não é motivo de preocupação se você nunca ouviu falar dele nem da sua música. Apesar de ter feito a trilha sonora inteira do bem sucedido filme About a Boy e de ter vários discos gravados ele é um verdadeiro exemplo de música pop desconhecida.

Parece ser um contrasenso dizer que algo é pop mas que ninguém conhece. Acontece que pop não quer dizer simplesmente que é popular, famoso. Longe disso, pop é um termo que passou a designar toda uma estética que abrange música, literatura, quadrinhos e outras artes.

Isso é Badly Drawn Boy, um músico que tem um estilo só pode ser chamado de pop, mas um alcance que passou a ser chamado de indie, que, por si só, é outro contrasenso. Indie quer dizer que o produto é independente, contudo, como boa parte dos músicos “indies” BDB é tem seus álbuns lançados por uma Gravadora de grande porte e, de indie mesmo, só tem um público mais restrito.

Enfim, se conseguirem achar, deve dar um pouco de trabalho, mas a Livraria Cultura tem alguns cd´s dele, e pela internet tem espalhadas algumas músicas dele. Aliás, no próprio site do artista, http://www.badlydrawnboy.co.uk/ você pode ouvir um pouco desse delicioso som.

Para vocês pensarem eu deixo dois versos da música You´re right do cd Have you fed the fish? que tem tudo a ver com a questão existencialista de Rob no romance Alta Fidelidade (clique aqui para saber mais sobre o romance).

And songs are never quite the answer
Just a soundtrack to a life

Um comentário:

Amalio disse...

Esse negócio de divulgar coisas que ninguém conhece é engraçado porque daqui a pouco todo mundo está conhecendo e não será mais desconhecido, hahaha!! Eu também gosto de um cara que chama Terence Trent D'arby, que ficou até um pouco conhecido na década de 90, mas que de repente sumiu. Ele fazia muitas experimentações com sons e instrumentos, tinha uma música até que ele mixava o barulho do mar na melodia e o pior é que ficava legal.